terça-feira, 29 de novembro de 2016

Gênesis 12 - Deus Chama Abraão: As Grandes Promessas



A História do Velho Testamento (7) 
Deus Chama Abraão: As Grandes Promessas (Gênesis 12) 


Período: 
Os Patriarcas 

Eventos Principais: 
As Promessas a Abraão 
A Viagem de Abraão para a Terra de Canaã 

Pessoas Importantes: 
Abraão (Abrão) 
Sara (Sarai) 
Ló 

Conceitos Principais: 
Deus recompensa os servos fiéis 
Deus cumpre suas promessas 
Quando cremos em Deus, obedecemos as suas palavras

A História: 
Deus falou com Abraão, e deu um mandamento e uma promessa 
O mandamento: "Saia de sua terra, do meio dos seus parentes e da casa do seu pai e vá para uma terra que eu lhe mostrarei" 

A promessa em três partes: 
Terra 
Nação 
Bênçãos para todas as famílias da terra através do descendente de Abraão 

Abrão obedeceu, e seguiu a Deus sem saber para onde estava indo 
Ele chegou na terra de Canaã, muito longe da terra onde ele habitava (Harã), e mais distante ainda da terra onde ele nasceu (Ur dos caldeus) 

Em cada lugar onde Abrão parou, ele edificou um altar para fazer sacrifícios e louvar a Deus (leia, por exemplo, Gênesis 12:7-8) 

Abraão viu a terra que Deus prometeu, mas não tomou posse dela durante toda sua vida. Ele vivia pela fé, sabendo que Deus sempre cumpre suas promessas (leia Hebreus 11:8-19 para entender melhor a fé de Abraão)


por Dennis Allan
(estudosdabiblia)


¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨


Promessas a Abraão

Muitas gerações mais tarde, Deus chamou Abraão para sair de sua pátria e vagar como peregrino numa terra estranha. Abraão confiou em Deus e fez como ele mandou. Deus prometeu a Abraão três coisas: 1. "De ti farei uma grande nação"; 2. "Em ti serão benditas todas as famílias da terra" e 3. "Darei à tua descendência esta terra".¨

A história bíblica traça o cumprimento dessas promessas.

A família de Abraão continuou peregrinando na terra de Canaã até o tempo de seu neto, Jacó. Este se mudou com sua família para o Egito, onde ela começou a multiplicar-se rapidamente. Seus descendentes se tornaram tão numerosos que os governantes egípcios se preocuparam que eles pudessem tentar dominar o país. 

Como resultado, escravizaram a família de Abraão, mas Deus foi fiel à sua promessa e chamou Moisés para libertar o povo. Através de Moisés, Deus feriu o Egito com dez pragas, fazendo com que os egípcios libertassem os descendentes de Abraão, agora chamados israelitas. Moisés levou-os do Egito até o Monte Sinai, onde Deus fez uma aliança com eles. Por esse tempo, a promessa de Deus de fazer da família de Abraão uma grande nação tinha sido cumprida. 

Havia mais de 600.000 homens adultos, além das mulheres e crianças.

A geração que saiu do Egito foi incapaz de possuir a terra prometida, mas seus descendentes o fizeram. Guiados por Josué, a nação entrou na terra onde Abraão tinha peregrinado e a conquistaram. Observe a declaração clara do cumprimento da promessa de Deus. "Desta maneira, deu o SENHOR a Israel toda a terra que jurara dar a seus pais; e a possuíram e habitaram nela" (Josué 21:43; veja também Josué 23:14-15; 1 Reis 4:21; Neemias 9:7-8). 

Deus advertiu-os que se o desobedecessem, seriam expulsos da terra prometida (Deuteronômio 8:19-20; 28:63-65). Eles desobedeceram e foram levados cativos pelos assírios e babilônios séculos mais tarde.

A promessa mais importante que Deus fez a Abraão foi que um dos seus descendentes abençoaria todas as nações do mundo. Essa promessa foi mais explícita do que aquela em Gênesis 3, no qual um descendente da mulher esmagaria a Satanás. Tal agora não seria qualquer descendente da mulher, mas também um descendente de Abraão. O esmagamento da serpente por ele resultaria em bênçãos para todas as famílias da terra.

por Gary Fisher
estudosdabiblia net/d64


terça-feira, 22 de novembro de 2016

Gênesis 11 - A Torre de Babel



A História do Velho Testamento (6)
A Torre de Babel (Gênesis 11) 


Período: A Dispersão do Povo 


Eventos Principais: 
--A Construção da Torre de Babel 
--Deus Confundiu as Línguas 


Conceitos Principais: 
--A conseqüência da desobediência 
--O homem não deve se exaltar 


A História:
--Deus tinha dito que os homens se espalhassem pela terra
--Alguns deles não quiseram obedecer, e ficaram num lugar
--Para ficarem unidos e para honrarem seu próprio poder, eles decidiram construir uma torre (Note quantas vezes eles falam em "nós")
--Deus confundiu suas línguas, fazendo com que fosse impossível comunicar-se, para terminar a obra de construção 
--Os povos foram dispersos pela terra, como Deus tinha mandado antes


o autor Dennis¨Allan comenta:
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Deus confundiu as línguas dos homens 
na torre de Babel?

Sabemos que Deus confundiu as línguas quando os homens tentaram se exaltar na construção da torre de Babel (Gênesis 11:1-9). É uma lição duradoura sobre os perigos de ambição, arrogância e esquecimento de Deus.

Mas, espere um pouco. Encontramos no capítulo anterior que os povos e nações se dividiram "segundo as suas línguas" (Gênesis 10:5,20,31). Alguns céticos citam esse caso para "provar" que a Bíblia se contradiz e não é de confiança. Como devemos responder?

Um estudo cuidadoso de Gênesis mostrará que este livro, como muitos outros livros dentro e fora da Bíblia, usa uma técnica literária de resumir a história antes de entrar em detalhes de algum determinado episódio. Devido a esta e outras técnicas, vários eventos bíblicos são relatados fora da seqüência cronológica. Veja alguns outros exemplos:


Gênesis 1 contém o resumo da criação. Capítulo 2 dá os detalhes da criação do primeiro casal humano.


A morte de Abraão é mencionada em Gênesis 25:7-10 e o nascimento dos filhos de Isaque se encontra em (25:21-26). De fato, Abraão morreu quando os netos gêmeos tinham 15 anos de idade.


A morte de Isaque é relatada em Gênesis 35:28-29. Mas, pela cronologia, se encaixa no período da prisão de José no Egito (capítulo 40).


Poderíamos citar outros exemplos, mas esses servem para ilustrar o ponto. Livros como Gênesis nem sempre seguem uma cronologia rígida. Algumas histórias são contadas fora de seqüência por causa dos temas ou personagens destacados.

No caso da confusão de línguas, Gênesis 10 enfatiza a divisão dos descendentes de Noé em termos da geografia. Gênesis 11:1-9 mostra a maneira que Deus forçou os homens a cumprir a sua ordem de encher a terra (Gênesis 9:1).

Esta questão da seqüência de Gênesis 10 e 11 não prova a falta de veracidade da Bíblia. O fato que algumas pessoas apontam a tais casos para desacreditar as Escrituras ilustra uma realidade triste. Há pessoas que procuram qualquer motivo, mesmo argumentos absurdos e sem fundamento, para rejeitar Deus e sua palavra. A evidência da existência de Deus grita de cada árvore, neném, montanha e estrela que ele criou, tirando qualquer justificativa da boca dos descrentes (Romanos 1:20; Atos 17:25-29). As pessoas que rejeitam tais evidências querem justificar seus atos egoístas, rebeldes e pecaminosos (Romanos 1:21-32), ao invés de aceitar o amor e a graça do Deus benevolente (Romanos 5:8).

"O homem perverso mostra dureza no rosto, mas o reto considera o seu caminho. Não há sabedoria, nem inteligência, nem mesmo conselho contra o Senhor"(Provérbios 21:29-30).

-por Dennis Allan

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Alianças entre Deus e a humanidade



Thomas Ice
Pergunta: “Quais são as alianças bíblicas?”

Resposta: Quando observamos as alianças bíblicas, precisamos primeiramente considerar a terminologia que as Escrituras usam para aliança. No Antigo Testamento, a palavra hebraica para aliança é berith. Ela é usada 285 vezes. A palavra grega no Novo Testamento para aliança é diatheke. Ela aparece 30 vezes. Portanto, o significado central de aliança é um laço ou relacionamento entre duas partes na forma de um contrato. Em nosso mundo moderno, um contrato é a coisa mais próxima que seja semelhante a uma aliança bíblica. Nas alianças bíblicas entre Deus e a humanidade, o Senhor, soberanamente, impõe os termos desses arranjos de acordo com Sua própria vontade e prazer. Pense no seguinte: o Deus que não pode mentir escolhe se comprometer legalmente com as promessas que Ele fez para a humanidade.

Existem oito alianças na Bíblia, feitas entre Deus e a humanidade:

A Aliança Edênica (Gn 1.28-30; 2.15-17)
A Aliança Adâmica (Gn 3.14-19)
A Aliança Noaica (Gn 8.20-9.17)
A Aliança Abraâmica (Gn 12.1-3; etc.)
A Aliança Mosaica (Êx 20-23; Dt)
A Aliança Davídica (2Sm 7.4-17)
A Aliança da Terra de Israel (Dt 30.1-10)
A Nova Aliança (Jr 31.31-37)

Maranata! (Thomas Ice – Pre-Trib Perspectives)

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Gênesis 6 - 9 - O Dilúvio


A História do Velho Testamento (5)
O Dilúvio (Gênesis 6 - 9) 

Período: 
O Dilúvio 

Eventos Principais: 
A Preparação da Arca 
O Dilúvio 

Pessoas Importantes: 
Noé 

Conceitos Principais: 
-A conseqüência da desobediência 
-A graça de Deus para salvar as pessoas que o obedecem 
-Devemos respeitar a vida humana; é pecado matar outra pessoa 

A História: 
-Os homens se afastaram mais e mais de Deus 
-Deus viu a maldade dos homens e decidiu destrui-los 
-Noé, um bom homem, achou graça diante do Senhor 
-Deus mandou que Noé fizesse uma arca para salvar sua família e os animais
-Deus causou o dilúvio no mundo inteiro 
-Noé, sua esposa, seus três filhos e três noras entraram na arca, junto com os    animais 
-Choveu por 40 dias e 40 noites 
-Eles ficaram na arca mais de um ano, até a terra secar e a arca repousar nos montes de Ararate 

-Noé soltou pássaros para saber se a terra tinha secado: 
-Soltou um corvo, que voava de um lado para outro até que a terra secasse 
-Depois, soltou uma pomba, que voltou porque não achou lugar seco onde ficar 
-Depois de mais uma semana, soltou a pomba de novo, e ela não voltou 
-Noé saiu da arca e ofereceu sacrifícios a Deus 

-Deus fez um acordo com Noé: 
-arco-íris é sinal da promessa para nunca mais destruir o mundo com água 
-O homem pode comer dos animais e das verduras 
-Deus proibiu que o homem comesse sangue, que representa a vida 
-É pecado matar outro ser humano 
-A família de Noé teria descendentes espalhados pelo mundo

DennisAllan
Resumos dos relatos históricos do Velho Testamento preparados para ajudar professores nas aulas a serem ministradas para crianças

terça-feira, 1 de novembro de 2016

A formação do Antigo Testamento ou da Bíblia Hebraica

Muitos séculos antes de Cristo, escribas, sacerdotes, profetas, reis e poetas do povo de Israel mantiveram registros de sua história e de seu relacionamento com Deus. Igualmente fizeram o registro das mensagens e revelações que receberam do Deus de Israel. Esses registros tinham grande significado e importância na vida daquele povo e, por isso, foram copiados muitas vezes e passados de geração em geração.

Com o passar do tempo, esses relatos sagrados foram reunidos em três grupos de livros, assim conhecidos, em hebraico:


– Torah (Lei): reúne os primeiros cinco livros da Bíblia, o assim chamado Pentateuco.

– Neviim (Profetas): seção que inclui os profetas anteriores (Josué, Juízes, Samuel e Reis) e os profetas posteriores (Isaías, Jeremias, Ezequiel, e os Doze Profetas Menores).

– Ketubim (Escritos): reúne os demais livros, entre os quais Salmos, Provérbios, Jó, Eclesiastes, e também Esdras e Neemias, Daniel, e os livros de Crônicas, que aparecem em última posição no cânone hebraico.


As letras iniciais dessas divisões formam o acrônimo TaNaK, que é o nome que os judeus dão à Bíblia.

fonte: SBB

Postagens visualizadas nos últimos 30 dias