sábado, 29 de agosto de 2015

NÚMEROS Autor e Data


Números
Autor: Tradicionalmente Moisés
Data: Cerca de 1400 a.C.

Autor
Tradicionalmente, a autoria é atribuída a Moisés, a personalidade central do livro. Nm 33.2 faz uma referência especifica a Moisés, registrando pontos sobre a viagem no deserto.
O título em português Números é tirado de seu título (arithmoi) na tradução grega do AT (a septuaginta), seguido pela Vulgata (numeri). No texto hebraico, o nome do livro é No Deserto , tirado da linha de abertura. “Falou mais o senhor a Moisés, no deserto do Sinai”.

Data
Assumindo a autoria mosaica, provavelmente o livro tenha sido escrito por volta de 1400 aC., pouco antes de sua morte. Os acontecimentos deste livro ocorrem durante cerca de 40 anos, começando logo após o Êxodo, em 1400 aC.¨

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
fonte: Bíblia Plenitude/Vivos

LEVÍTICO Autor e Data



Levítico

Autor: Tradicionalmente Moisés
Data: Cerca de 1445 a.C.


Autor

O Livro de Levítico é o terceiro livro das Escrituras Hebraicas do AT atribuídos a Moisés. Em 1.1, o texto se refere à palavra do Senhor, que foi proferida a Moisés do tabernáculo da assembléia; isso forma a base de todo este livro das Escrituras. Os sacerdotes e levitas preservaram seu conteúdo.


Data

Os sábios datam o Livro de Levítico da época das atividades de Moisés (datando mais antigamente no séc. XV aC e a última alternativa no séc. XII aC) até a época de Esdras, durante o retorno (séc.VI aC). A aceitação da autoria mosaica para Levítico dataria sua escrita por volta de 1445 aC. O livro descreve o sistema de sacrifícios e louvor que precede a época de Esdras e relembra a instituição do sistema de sacrifícios. O livro contém pouca informação histórica que forneceria uma data exata.¨

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
fonte: Bíblia Plenitude/Vivos

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

ÊXODO - Autor e Data (Ex)



Êxodo
Autor: Tradicionalmente Moisés
Data: Cerca de 1400 a.C.




Autor

Moisés, cujo nome significa “tirado das águas”, é a figura centraL de Êxodo. Ele é o profeta hebreu que liderou os israelitas em sua saída do Egito. Êxodo é tradicionalmente atribuído a ele. Quatro passagens em Ex dão forte apoio à autoria mosaica de pelo menos boa parte do livro (17.14; 24.4,7; 34.27). Através de eventos variados e de encontros face a face com Deus, Moisés recebeu a revelação daquelas coisas que Deus desejava que ele soubesse. Assim, através do processo de inspiração do Espírito Santo, Moisés comunicou ao povo hebreu, tanto na forma oral como na escrita, esta informação que lhe foi revelada.



Data

A Tradição conservadora data a morte de Moisés em algum temPo ao redor de 1400 aC. Desta forma, é provável que o Livro de Êxodo tenha sido compilado nos quarentas anos anteriores, durante a caminhada pelo Deserto.

fonte: Bíblia Plenitude
site Vivos


GÊNESIS - Autor e Data (Gn)



GÊNESIS
Autor: Tradicionalmente Moisés

Data: Cerca de 1440 a.C.



Autor
A tradição judaica lista Moisés como o autor do Gênesis e dos outros quatro livros que o seguem, juntos, estes livros são denominados de Pentateuco. Jesus disse: “Se vós crêsseis em Moisés, creríeis em mim, porque de mim escreveu ele” (Jo 5.46

O próprio Pentateuco descreve Moisés como alguém que escreveu extensivamente. Ver Ex 17.14; 24.4; Dt 31.24; At 7.22 nos conta que “Moisés foi instruído em toda ciência dos egípcios.” Nas notas que acompanham o texto nós observamos que Gênesis emprega um bom número de termos emprestados dos egípcio, sendo este um fato que sugere que o autor original tenha as suas origens no Egito, como era o caso de Moisés.


Data
A data tradicional do êxodo do Egito se encontra no meio do décimo quinto século a.C. 1Rs 6.1 afirma que Salomão começou a construir o templo “no ano quatrocentos e oitenta, depois de saírem os filhos de Israel do Egito”. Entende-se que Salomão tenha iniciado a construção em cerca de 960 a.C., datando assim o êxodo em 1440 a.C. Desta forma Moisés redigiu o Êxodo depois de 1440 a.C., durante os quarenta anos no deserto.

Bíblia Plenitude
Vivos
>>> leia sinopse de GÊNESIS

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

APOCALIPSE - o 27º e último livro do NOVO Testamento, Apocalipse ou a REVELAÇÃO DE DEUS A JOÃO


APOCALIPSE
OU A REVELAÇÃO DE DEUS A JOÃO

Apocalipse quer dizer "revelação", e por isso este livro se chama também de A Revelação de Deus a João (1.1).


Foi escrito durante um tempo em que as autoridades romanas estavam perseguindo os cristãos porque eles não prestavam culto ao imperador romano, que  chamava a si mesmo de "Senhor" e "Deus".

O livro foi escrito por João, que estava preso na ilha de Patmos por ter anunciado a Boa-Notícia do Evangelho (1.9)

Ele escreve o seu livro para as sete igrejas da província romana da Ásia (1.4, 11), que ficava numa região que hoje faz parte da Turquia.

Ele anima os seus leitores a continuarem fiéis a Jesus Cristo em tempos de perseguições e sofrimentos.

Depois das cartas às sete igrejas,(caps. 2-3), João descreve uma série de visões que teve.

Elas mostram que as forças do mal não vencerão; a vitória pertence a Deus e a Jesus Cristo, e os que continuarem fiéis na sua fé receberão o prêmio da vida eterna no novo céu que Deus vai preparar.

João usa figuras estranhas, símbolos e números que os  seus leitores entendiam, mas que não seriam entendidos pelas autoridades romanas.

Os leitores de hoje têm dificuldade de compreender  completamente as visões de João, mas a lição principal do livro é simples e clara: 


"Agora o poder de governar o mundo pertence ao nosso Senhor e ao seu Cristo, e Ele reinará para sempre!" (11.15)



ESBOÇO:

  • introdução - 1.1-8
  • a primeira visão - 1.9-20
  • as cartas às sete igrejas - caps. 2-3
  • a visão do rolo selado com sete selos - 4.1-8.1
  • a visão das sete trombetas - 8.2-11.19
  • a visão da mulher e do dragão e a visão dos dois monstros - caps. 12-13
  • outras visões - caps. 14-15
  • a visão das taças da ira de Deus - cap. 16
  • a destruição de Babilônia e a derrota do monstro, do falso
  • profeta e de satanás - 17.1-20.10
  • o julgamento final - 20.11-15
  • o novo céu, a nova terra e a nova Jerusalém - 21.1-22.5
  • final - 22.6-21
SBB/NTLH
(66º é o último livro da Bíblia Sagrada)

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

JUDAS - o 26° livro do NOVO Testamento, Carta de Judas


JUDAS, Carta de Judas é o 26° livro do NOVO Testamento
e a 8ª e última das oito cartas chamadas de 'Cartas Gerais' que foram escritas a pessoas ou a igrejas ou aos cristãos em geral.
-------------------
Esta carta foi escrita aos cristãos em geral para prevení-los contra os falsos mestres que estavam espalhando idéias erradas nas igrejas.

Esta carta, que é parecida com a Segunda Carta de Pedro, procura animar o leitores "a combater a favor da fé que, uma vez por todas, Deus deu ao seu povo" (vers.3).

O autor recomenda que os leitores continuem firmes e não se deixem levar por esses enganadores, pois eles receberão o castigo que merecem. 

ESBOÇO:

  • introdução - vs. 1-2
  • os falsos mestres - vs. 3-16
  • conselhos - vs. 17-23
  • oração final - vs. 24-25

SBB/NTLH
(é o 65° livro da Bíblia Sagrada)


¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

"O livro de Judas é muito importante para nós hoje porque foi escrito sobre o fim dos tempos, para o fim da era da igreja. A era da igreja começou no Dia de Pentecostes. Judas é o único livro inteiramente dedicado à grande apostasia. Judas escreve que más obras são a prova de apostasia. Ele nos exorta a batalhar pela fé, pois há joio no meio do trigo. Falsos profetas estão na igreja e os santos estão em perigo. Judas é um livro pequeno, mas muito importante e digno de estudo, escrito para os cristãos de hoje.

Vivemos em um momento único na história e este pequeno livro pode ajudar a equipar-nos para enfrentar os incontáveis desafios de viver no fim dos tempos. O cristão de hoje deve ter cuidado com as falsas doutrinas que podem facilmente enganar-nos se não formos bem versados na Palavra. 

Precisamos conhecer o Evangelho - para proteger e defendê-lo - e aceitar o Senhorio de Cristo, o qual é evidenciado por uma mudança de vida. A fé autêntica sempre reflete o comportamento semelhante ao de Cristo. Nossa vida em Cristo deve refletir o conhecimento do nosso próprio coração que descansa na autoridade do Criador e Pai Todo-Poderoso e põe fé em prática. Precisamos desse relacionamento pessoal com Ele, só então conheceremos Sua voz tão bem que não seguiremos a nenhum outro"

  • (gotquestions) 

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

3 JOÃO - o 25° livro do NOVO Testamento, Terceira Carta de João

3 JOÃO - Terceira Carta de João é o 25° livro do NOVO Testamento
e a 7ª das oito cartas chamadas de 'Cartas Gerais' que foram escritas a pessoas ou a igrejas ou aos cristãos em geral.
--------------------------------

Esta carta, escrita pelo mesmo "presbítero da Igreja" que escreveu a Segunda Carta de João, é enviada a Gaio, dirigente de uma igreja.

O autor elogia Gaio, fala contra a oposição de Diótrefes e fala bem de Demétrio.


ESBOÇO:


  • Introdução - vs. 1-4
  • Gaio é elogiado - vs. 5-8
  • Diótrefes é condenado - vs. 9-10
  • Demétrio é elogiado - vs. 11-12
  • Palavras finais - vs. 13-15

sbb/ntlh
Bíblia Sagrada e seus livros
(é o 64° livro da Bíblia Sagrada)


terça-feira, 18 de agosto de 2015

2 JOÃO - o 24° livro do NOVO Testamento, Segunda Carta de João


2 JOÃO - Segunda Carta de João é o 24° livro do NOVO Testamento
e a 6ª das oito cartas chamadas de 'Cartas Gerais' que foram escritas a pessoas ou a igrejas ou aos cristãos em geral.
------------------------------------
Esta pequena carta foi escrita por um "presbítero", isto é, um dirigente de uma igreja.

A carta é dirigida aos membros de outra igreja, os quais o autor conhece bem.

Ele pede aos leitores que amem uns aos outros e que tomem cuidado com certas doutrinas falsas que estão sendo espalhadas pelo mundo.

ESBOÇO:
Introdução - vs. 1-3
Amor, verdade e erro - vs. 4-11
Palavras finais - vs. 12-13

sbb/ntlh
(é o 63° livro da Bíblia Sagrada)



sexta-feira, 14 de agosto de 2015

1 JOÃO - o 23° livro do NOVO Testamento, Primeira Carta de João

 

1 JOÃO, Primeira Carta de João é o 23° livro do NOVO Testamento
e a 5ª das oito cartas chamadas de 'Cartas Gerais' que foram escritas a pessoas ou a igrejas ou aos cristãos em geral.
-----------------------
A Segunda Carta de Pedro foi escrita a todos os cristãos do seu tempo. 

O assunto principal da Primeira Carta de João é o amor:
o amor de Deus para conosco e o amor que devemos ter uns para com os outros.
"Deus é amor. Quem vive no amor vive unido com Deus, e Deus vive unido com ele" (4.16).

Deus também é luz, e nós devemos sempre viver na luz e assim estaremos unidos uns com os outros (1.7; 2.9-11).

O autor também previne os seus leitores contra a falsa doutrina de que Jesus Cristo não se tornou homem realmente, mas tinha somente a aparência de homem. (2.22-23; 4.1-3; 5.6-9).

Essa falsa doutrina, diz o autor, vem do espírito do inimigo, o espírito do erro.

Nem nesta carta nem nas duas seguintes, aparece o nome do autor.

Por causa dos assuntos tratados e por causa da maneira de escrever do autor, as tres cartas logo começaram a ser chamadas de "Cartas de João", querendo-se dizer com isso que foram escritas pelo autor do Evangelho de João.

ESBOÇO:
Introdução - 1.1-
Deus é luz - 1.5-10
A verdade e erro - cap.2
Os filhos de Deus e os filhos do Diabo - cap.3
O Espírito da verdade e o do erro - 4.1-6
Deus é amor - 4.7-21
A fé que vence o mundo -cap.5

sbb/ntlh
(é o 62° livro da Bíblia Sagrada)


2 PEDRO - o 22° livro do NOVO Testamento, Segunda Carta de Pedro



2 PEDRO, Segunda Carta de Pedro é o 22° livro do NOVO Testamento
e a 4ª das oito cartas chamadas de 'Cartas Gerais' que foram escritas a pessoas ou a igrejas ou aos cristãos em geral.
-------------------------
A Segunda Carta de Pedro foi escrita a todos os cristãos do seu tempo. 

Ela trata de falsas doutrinas que estavam sendo espalhadas entre eles.

Os falsos mestres não somente ensinavam coisas erradas como também se entregavam a todo tipo de imoralidades e vícios e procuravam arrastar os outros consigo.

O apóstolo avisa os leitores do perigo que eles correm e os anima a ficarem firmes na fé e na vida de pureza e dedicação a Deus.

Esses falsos mestres também zombavam da esperança que os cristãos tinham de que Cristo iria voltar; por isso o apóstolo afirma que de fato o Senhor voltará.

Contudo, por ser bondoso, ele tem paciência "porque não quer que ninguém seja destruído, mas que todos se arrependam"(3.9,15).

O apóstolo recomenda que todos "façam o possível para estarem em paz com Deus, sem mancha e sem culpa diante dele", e fiquem esperando aquele dia abençoado em que haverá "um novo céu e uma nova terra, onde mora a justiça" (3.13,14)

ESBOÇO:
introdução - 1.1-2
a vida cristã - 1.3-2
os falsos mestres - cap. 2
a vinda do Senhor - cap. 3

SBB/NTLH
(é o 61° livro da Bíblia Sagrada)


quarta-feira, 12 de agosto de 2015

1 PEDRO - o 21° livro do NOVO Testamento, Primeira Carta de PEDRO


PEDRO, Primeira Carta de PEDRO é o 21° livro do NOVO Testamento
e a 3ª das oito cartas chamadas de 'Cartas Gerais' que foram escritas a pessoas ou a igrejas ou aos cristãos em geral.
----------------------------
A Primeira Carta de Pedro foi escrita para os cristãos que viviam em cinco províncias romanas que ficavam numa região que hoje faz parte da Turquia.

O apóstolo está em "Babilônia" (5.13), que provavelmente é uma maneira de falar da cidade de Roma (ver Apocalipse 14.8; 16.19; 17.5).

Os leitores estão enfrentando sofrimentos e perseguições por causa da sua fé.
Ao procurar animá-los a continuarem firmes na sua dedicação a Jesus Cristo, o apóstolo mostra que os sofrimentos servem para provar que a fé que eles têm é verdadeira (1.7).

Ele cita o exemplo de Cristo, que suportou o sofrimento e a morte em favor deles; aconselha que eles, por sua vez, sigam o exemplo do Mestre (2.21-25).

Recomenda que, acima de tudo, eles vivam uma vida que traga honra e glória para o nome de Deus (1.15-16).

E o autor faz lembrar de novo aos leitores a razão de eles terem sido salvos: "Vocês foram escolhidos para anunciar os atos poderosos de Deus, que os chamou da escuridão para a sua maravilhosa luz" (2.9).

ESBOÇO:
introdução ..................................... 1.1-2
como Deus nos salva .................... 1.3-12
a vida cristã ....................................1.13 - 2.10
sofrendo como cristãos .................. 2.11 - 4.19
humildade e serviço cristãos .......... 5.1-11
saudações finais ............................. 5.12-14

sbb/ntlh
(é o 60° livro da Bíblia Sagrada)


terça-feira, 11 de agosto de 2015

TIAGO - o 20° livro do NOVO Testamento, Carta de Tiago


TIAGO, Carta de Tiago, é o 20° livro do NOVO Testamento
e a 2ª das oito cartas chamadas de 'Cartas Gerais' que foram escritas a pessoas ou a igrejas ou aos cristãos em geral.
--------------------------
A Carta de Tiago foi escrita a todos os cristãos do seu tempo e trata de assuntos práticos da vida cristã.

O autor fala de pobreza e riqueza; tentação; preconceito; maneira de viver; o falar; o agir, o criticar; orgulho e humildade; paciência, oração e fé.

Ele põe acima de tudo a necessidade de não somente crer como também agir.

Não adianta nada alguém dizer que tem fé se não provar por meio das suas ações que a sua fé é viva e verdadeira. "Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem ação está morta" (2.26).

A verdadeira fé cristã se manifesta em ações cristãs.

O autor se chama a si mesmo de "mestre" (3.1), e este livro tem belas lições para todos os seguidores de Cristo.

Com clareza e vigor Tiago nos ensina como devemos agir e viver, se é que queremos ser cristãos.

ESBOÇO:
introdução - 1.1
Fé e sabedoria - 1.2-8
Pobreza e riqueza - 1.9-11
Provas e tentações - 1.12-18
Ouvir e fazer - 1.19-27
Tratamento igual para todos - 2.1-13
Fé e ações - 2.14-26
Dominar a língua - 3.1-12
A verdadeira sabedoria - 3.13-18
O cristão e o mundo - 4.1-5.6
Vários conselhos - 5.7-20

sbb/ntlh
(é o 59° livro da Bíblia Sagrada)

sábado, 8 de agosto de 2015

HEBREUS - o 19° livro do NOVO Testamento, Carta aos Hebreus


HEBREUS, Carta aos Hebreus é o 19° livro do NOVO Testamento
e a 1ª das oito cartas chamadas de 'Cartas Gerais' que foram escritas a pessoas ou a igrejas ou aos cristãos em geral.
-------------------------------
Os cristãos a quem este livro foi escrito eram de origem judaica, e é por isso que o livro é chamado de Carta aos Hebreus.

Eles estavam sendo perseguidos e poderiam abandonar a fé cristã e voltar à religião dos seus antepassados.

O livro parece mais um discurso ou um sermão do que uma carta; o autor não diz quem é nem diz a quem está escrevendo.

Só no fim do livro é que aparecem umas poucas referências a pessoas (13.22-24).

Ninguém sabe com certeza quem escreveu este belo sermão.

O autor deste livro procura provar aos leitores que é por meio de Jesus Cristo que Deus envia a mensagem mais perfeita a respeito de si mesmo: Jesus é a revelação completa e eterna de Deus.

Ele é o Filho de Deus, superior aos profetas do Antigo Testamento, aos anjos e a Moisés e Josué.

Ele é o eterno Grande Sacerdote que se oferece a si mesmo como sacrifício perfeito a Deus a fim de tirar os pecados da humanidade.

É por meio dele que Deus faz o novo e perfeito acordo com o seu povo.
E é por meio de Jesus Cristo que se consegue a salvação eterna.

No capítulo 11 o autor cita os nomes dos heróis da fé, as personagens do Antigo Testamento que continuaram firmes na sua fé em Deus mesmo tendo de enfrentar derrotas, perseguições e martírio.

Recomenda, pois, que os leitores prestem atenção e não se desviem do caminho da fé, mas prossigam firmes até o fim.

Depois de vários conselhos, o autor termina com uma oração e saudações pessoais.

ESBOÇO:
Introdução : Jesus Cristo, a mais perfeita revelação de Deus - 1.1-3
Cristo é superior aos anjos - 1.4 - 2.18
Cristo é superior a Moisés e Josué - 3.1 - 4.13
Cristo, o Grande Sacerdote eterno - 4.14 - 7.28
O acordo feito por meio de Cristo é superior - 8.1 - 9.22
O sacrifício de Cristo é superior - 9.23 - 10.39
Os heróis da fé - cap.11
Conselhos - cap.12
Como agradar a Deus - 13.1-19
Oração e saudações - 13.20-25 

SBB/NTLH
(é o 58° livro da Bíblia Sagrada)

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

FILEMOM - o 18º livro do NOVO Testamento, Carta de Paulo


FILEMOM, Carta de Paulo a Filemom é o 18º livro do NOVO Testamento
e a 13ª das treze cartas que o apóstolo Paulo escreveu para orientar as igrejas e os cristãos daquele tempo em questões de doutrina e da vida cristã.
-----------------------------------------
Filemom era um cristão importante, provavelmente membro da igreja de Colossos.

Onésimo, que era escravo de Filemom, tinha fugido do seu dono.

Não se sabe como ele chegou a conhecer o apóstolo Paulo, mas o certo é que se converteu ouvindo a mensagem do Evangelho anunciada pelo apóstolo, que estava na prisão.

Paulo decidiu que Onésimo deveria voltar para o seu dono e por isso escreve a Carta a Filemom a fim de lhe fazer um apelo para que receba Onésimo de volta, não somente como escravo, mas também como um querido irmão em Cristo.

Parece que a Carta aos Colossenses e a Carta a Filemom foram escritas na mesma época e que as duas foram entregues pelo próprio Onésimo.

Esta pequenina carta é um belo exemplo de cortesia e carinho.

Paulo não discute os direitos que as leis daquele tempo davam ao dono de um escravo.

Para resolver esta questão de um escravo fugido, Paulo aplica a mais alta lei que existe, a lei do amor cristão.

ESBOÇO:
introdução - vs. 1-3
elogios para Filemom - vs 4-7
um apelo em favor de Onésimo - vs. 8-22
palavras finais - vs. 23-25


SBB/NTLH
(é o 57° livro da Bíblia Sagrada)

terça-feira, 4 de agosto de 2015

TITO - o 17º livro do NOVO Testamento, Carta de Paulo a Tito


TITO, Carta de Paulo a Tito é o 17º livro do NOVO Testamento
e a 12ª das treze cartas que o apóstolo Paulo escreveu para orientar as igrejas e os cristãos daquele tempo em questões de doutrina e da vida cristã.
-----------------------------------
Tito, um não-judeu que havia se tornado cristão, foi um dos colegas e auxiliadores do apóstolo Paulo no seu trabalho missionário (Gálatas 2.1-3; Coríntios 7.6-16).

Paulo o havia deixado na ilha de Creta a fim de que ele organizasse e dirigisse o trabalho das igrejas dali (Tito 1.5).

Na Carta de Tito o apóstolo trata dos deveres e da maneira de agir dos dirigentes das igrejas; fala também das responsabilidades do próprio Tito nas suas relações com os vários grupos de pessoas das igrejas.

O apóstolo recomenda que Tito use a sua autoridade para o bem dos membros das igrejas e que a sua maneira de agir sirva de exemplo para todos (2.7).

Diz que a vida cristã se torna possível por causa da bondade e do amor de Deus, que nos salvou "não porque fizemos alguma coisa boa, mas por causa da sua própria misericórdia" (3.5). 

ESBOÇO:
introdução - 1.1-4
responsabilidades dos dirigentes da Igreja - 1.5-16
deveres dos vários grupos nas igrejas - cap.2
maneira de agir dos cristãos - 3.1-11
palavras finais - 3.12-15

SBB/NTLH
(é o 56° livro da Bíblia Sagrada)


segunda-feira, 3 de agosto de 2015

TIMÓTEO 2 - o 16º livro do NOVO Testamento, segunda carta de Paulo a Timóteo


TIMÓTEO 2, Segunda carta de Paulo a Timóteo é o 16º livro do NOVO Testamento
e a 11ª das treze cartas que o apóstolo Paulo escreveu para orientar as igrejas e os cristãos daquele tempo em questões de doutrina e da vida cristã.
---------------------------------------------
A Segunda carta de Paulo a Timóteo trata principalmente das responsabilidades e dos deveres de Timóteo.

O apóstolo sente que a sua vida está chegando ao fim; por isso, com carinho e dedicação, ele dá conselhos ao seu colega e amigo Timóteo para que seja forte na fé e continue sendo um fiel soldado de Jesus Cristo.

Ainda mais: que seja zeloso no cumprimento dos seus deveres de dirigente da Igreja "e cumpra completamente o seu dever como servo de Deus" (4.5).

O apóstolo fala da sua própria maneira de viver, da sua fé, do seu amor e da sua perseverança, que devem ser imitados pelo seu jovem colega (3.10-11).

Cheio de coragem e confiança, o apóstolo resume assim a sua vida e a sua esperança de servo de Deus:

"Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. E agora está me esperando o prêmio da vitória, que é dado a quem vive uma vida correta, o prêmio que o Senhor, o justo Juiz, me dará naquele Dia" (4.7-8)


ESBOÇO:

__introdução - 1.1-2
__conselhos e elogios - 1.3-2.13
__deveres de Timóteo como dirigente da Igreja - 2.14-4.5
__a situação do apóstoo - 4.6-18
__saudações finais - 4.19-22

sbb/ntlh
(é o 55° livro da Bíblia Sagrada)


domingo, 2 de agosto de 2015

TIMÓTEO 1 - o 15º livro do NOVO Testamento, Primeira carta de Paulo a Timóteo


  
1 TIMÓTEO, Primeira carta de Paulo a Timóteo, é o 15º livro do NOVO Testamento
e a 10ª das treze cartas que o apóstolo Paulo escreveu para orientar as igrejas e os cristãos daquele tempo em questões de doutrina e da vida cristã.
-----------------------------------------
Timóteo era o colega auxiliar mais querido do apóstolo Paulo.

A mãe de Timóteo era uma judia que tinha aceitado a fé cristã, e o pai dele era grego (Atos 16.1-3; Filipenses 2.19-23).

As duas cartas a Timóteo e a carta a Tito são chamadas de "Cartas Pastorais" por tratarem dos deveres dos "pastores" do povo de Deus, isto é, os dirigentes da Igreja.

A Primeira Carta a Timóteo previne o jovem pastor (4.12) contra as doutrinas falsas que estavam sendo espalhadas entre os cristãos.

Diziam os falsos mestres (1.3) que era proibido comer certos alimentos e que casar era errado (4.3-5).

Essas proibições se baseavam na idéia de que o mundo material é mau e que a salvação se alcança por meio de certas verdades que só alguns poucos privilegiados podem aprender.

Esta carta também ensina aos dirigentes da Igreja a maneira de fazerem o seu trabalho.

E ao próprio Timóteo o apóstolo dá um conselho que serve para todos os seguidores de Jesus Cristo: "Viva uma vida de honestidade, de dedicação a Deus, de fé, de amor, de perseverança e de humildade.

Combata o bom combate da fé e ganhe a vida eterna" (6.11-12)

ESBOÇO:
introdução .............................................................1.1-2
instruções sobre a Igreja e os seus dirigentes ...... 1.3-3.16
instruções a Timóteo sobre o seu trabalho - caps. 4-6

sbb/ntlh
(é o 54° livro da Bíblia Sagrada)


Postagens visualizadas nos últimos 30 dias